Inspirado pela superação de mulheres reais, Max Gonçalves lança sua primeira obra literária

Fundador do Grupo Fenasoft do Brasil utiliza de relatos femininos vividos na Ditadura argentina e na cultura indiana para falar de seduções, remissões e submissões

 

CAPA_FINAL.cdr As estórias contadas por Max Gonçalves cativam, surpreendem, espantam e causam perplexidade. Mostram ao leitor como duas mulheres se transformaram para alcançar a dignidade de se sentirem seres humanos, em circunstâncias em que os direitos humanos não existiam.

Na busca por explicar a dor, o livro Seduções, Remissões e Submissões apresenta as histórias de uma indiana e uma argentina, que modificaram a vida através da sua superação. De alguma forma, mudaram seus mundos para sobreviver em realidades onde o poder humano desfigura a própria dignidade.

Baseado em histórias reais, a primeira obra literária do fundador e presidente do Grupo Fenasoft do Brasil – e um andarilho pelo mundo em busca de histórias e imagens para contar, assim como o próprio autor se auto-define – envolve e desperta a vontade de conhecer mais a vida dessas mulheres fascinantes, batalhadoras e com tantas dores, que poderiam ser personagens dos filmes do cineasta Pedro Almodóvar, e que, por vezes, parecem ter saído de tragédias gregas.

Lançado simultaneamente em Portugal, pela Editora Chiado, e na França, pela Editora Gallimard, o livro foi escrito através de uma série de entrevistas com pessoas as mais diversas, mulheres na maioria, homens, poucos, e transcorre nas entrelinhas sobre sedução, remissão e submissão, atos que estão embutidos nas vidas das heroínas que nos fazem refletir sobre compaixão e compreensão.

Max Gonçalves escreve ouvindo as próprias vozes de “suas” mulheres, e as transforma em novelas. Intercala a narração das estórias por elas mesmas e, vez ou outra, se coloca presente no texto, quando essas mulheres se dirigem a ele como “amigo escritor”, e ressaltam algo que foi vivido com o autor na ocasião em que este ouviu delas a própria tragédia. Os episódios são contados de forma ininterrupta e dinâmica, contendo espaços bem delimitados, onde o enredo corrobora-se para o desfecho da narrativa e para a resolução (ou não) dos conflitos.

São estórias de duas mulheres que precisaram usar da sedução para atingir seus objetivos, que submeteram suas vidas as vidas alheias e depois buscaram a remissão de suas culpas, a fim de obter paz.

SINOPSE

Maria tem sua vida interrompida pela Ditadura militar argentina, é torturada, perde sua memória, e faz da esperança de reconstruir sua história o mote para superar o passado e dar sentido ao presente. A trajetória na busca dessas lembranças se junta aos fragmentos do que sobrou de uma identidade esfacelada.

Em Tava Sheidy, a humilhação de não poder dispor do próprio corpo para expressar seu amor ao marido persegue esta indiana, treinada desde cedo a submeter sua vida à autoridade masculina, aprisionada pela cultura e por suas próprias culpas. A busca por um novo caminho se une à necessidade de aprender a aceitar os erros do passado e a compreender as escolhas alheias.                                                            

SOBRE O AUTOR

“Não me arrisco a despertar lágrimas, nem sorrisos, me arrisco sim a motivar a vida através de outras vidas que vão desfilar por essas páginas e que foram, no mínimo, vidas de uma imensa intensidade, sem acomodações, sem restrições e, sobretudo, sem a constância de esperar a morte, mas com a certeza de desafiar a morte.” Parte do prelúdio de Max Gonçalves para Seduções, Remissões e Submissões esclarece por onde permeou a inspiração deste catarinense para escrever sua primeira obra literária.

Max Gonçalves ficou conhecido no Brasil e no mundo por ter sido um dos maiores e mais atuantes empresários na área de Tecnologia. Formado pela Universidade de Harvard, nos USA, é doutor pelas Universidades de Lisboa e Barcelona, e reside atualmente em Miami. Foi fundador e presidente do Grupo Fenasoft, responsável pelo maior evento internacional de Tecnologia da Comunicação no Brasil, durante mais de 20 anos.

Presidiu a Petrobras Internacional e a Comissão de Privatização das Telecomunicações, no Governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, e criou inúmeras associações e fundações na área de tecnologia no Brasil e no mundo. Max Gonçalves também é um dos criadores da ONG África, que reúne, entre outras personalidades, Bill Gates, Bono Vox, Warren Buffet, e é atual representante brasileiro na Comissão Internacional de Gestão da Internet.

Após a venda da Fenasoft, o empresário se dedicou a escrever e viajar, tendo realizado documentários no Afeganistão e na Libéria, que conquistaram vários prêmios internacionais. Além do Brasil, lança o livro Seduções, Remissões e Submissões também em Portugal, pela Editora Chiado, e na França, pela Editora Gallimard.

Paralelamente ao lançamento de Seduções, Max Gonçalves se prepara para lançar no início do próximo ano o livro Os Garotos de Ipanema, que relata os anos dourados no Rio de Janeiro e a vida entre artistas da época, como Vinicius e Tom Jobim.

O autor trabalha, atualmente, em sua nova obra literária, intitulada Aula de Tango, em que conta uma história real vivida entre Medellín, na Colômbia, e Miami.

Avatar Estrutura de Comunicação

Por

Estrutura de Comunicação

Estratégias Digitais Integradas


Somos especialistas em comunicação digital completa para a sua empresa ter ainda mais valor.


Receba conteúdos especiais

Assine nossa
newsletter

Preencha os campos abaixo